Musgo-da-Islândia – Cetraria islandica

Musgo-da-Islândia combate a tosse

Musgo-da-islândia é um líquen circumpolar abundante nas regiões árticas e montanhosas dos países do norte europeu. Na América do Norte a sua gama estende-se através das regiões árticas, do Alasca à Terra Nova, e ao sul das Montanhas Rochosas até o Colorado, e os Montes Apalaches da Nova Inglaterra.

Cetraria islandica não é um musgo, mas líquen, uma associação simbiótica entre algas e fungos. Embora não seja uma planta vascular, a estrutura do musgo da Islândia tem uma aparência semelhante à dos caules e folhas, o que lhe confere uma aparência semelhante ao musgo, a semelhança na aparência pode ter sido a razão para o seu nome.

O líquen todo pode ser recolhido ao longo do ano, durante o tempo seco, entre maio e setembro é o melhor. Ele pode ser seco no sol ou na sombre para uso posterior.

Tradicionalmente musgo-da-islândia foi considerado um antibiótico, antiemético, demulcente, e tônico. Ele era muito usado em condições crônicas pulmonares e digestivas, particularmente tísica, dispepsia e diarréia crônica.

O líquen tem um lugar importante na Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Historicamente, foi amplamente usado em pães, mingaus e sopas. Tradicionalmente, no norte da Europa, o líquen em pó foi utilizado como um espessante em sopas.

Ele é altamente valorizado pela fitoterapia contemporânea como um antibiótico útil e emoliente. Usado para combater o catarro e para acalmar a tosse seca e como alívio para a tuberculose avançada.

Seu gosto meio amargo e ação tônica pode estimular o apetite e promover a secreção gástrica. Musgo-da-islândia é rico em mucilagens e sua ação calmante é útil para doenças como gastrite, úlcera gástrica, hérnia de hiato e refluxo de esofagite.





2 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *